OiToronto

Uma operação de guerra para vir para o Canadá

por

Em seu segundo artigo para o OiToronto, Monica Korosue conta sobre os preparativos de sua viagem ao Canadá para estudar inglês que inclui a distância da família, afastamento do trabalho, investimento financeiro e documentação.

Família MMS: Maria Elizete (Bá), Monica, Maurício e Marcelo.

A decisão de fazer um intercâmbio em Toronto para estudar inglês pareceu um plano simples e divertido, mas na realidade não foi bem assim. O plano se mostrou praticamente uma “operação de guerra”, com tantos detalhes e estratégias que passou do status de divertido para o de estressante, rapidamente.

Distância da família

Durante dois meses, estarei distante do meu marido e filho e esse será um dos desafios desta viagem. Eu estarei em Toronto estudando e as novidades ocupando o meu dia, certo? Pode até ser que sim. Não estou dizendo que é impossível ficar distante da família durante este período, apenas constatando que será difícil, afinal, para quem viaja, o sofrimento está na solidão (não ter as pessoas que se ama ao lado para compartilhar as novidades), e para quem fica na rotina, o sofrimento está em ficar sem o companheiro de todos os dias (aquele com quem se divide a carga, dá apoio e acalenta o coração). Mesmo que o sacrifício seja por uma boa causa, uma coisa é fato: a saudade será protagonista desta aventura.

Espero que a internet seja minha aliada na superação deste desafio, diminuindo a distância e acalmando a saudade.

Afastamento do trabalho

Todo mundo conhece a velha máxima – “onde há crise, há oportunidade”, foi exatamente o que aconteceu comigo. Eu aproveitei uma oportunidade oferecida pela crise (atraso no projeto), de ficar distante do meu trabalho por dois meses sem afetar o projeto em que trabalho. Então conversei com o meu chefe, e dentro das possibilidades oferecidas pela empresa, consegui o afastamento de dois meses como período de férias, uma vencida e uma antecipada.

Neste ponto, o desafio é superar a insegurança de, ao retornar, não ter o emprego esperando. Como sempre na vida, o momento de você colher o que plantou uma hora chega. Acreditar e apostar são as palavras de ordem!

Investimento Financeiro

Vamos falar de dinheiro, já que este é outro grande desafio. A vontade de fazer intercâmbio já existia, os planos também. O que não existia era a data marcada. Como esta decisão foi tomada às pressas e sem um planejamento financeiro, não teve outro jeito senão pegar a calculadora e fazer nova reunião familiar.

Após as simulações financeiras, a realidade dura veio à tona: não dispúnhamos da quantia necessária para as despesas de viagem. O que fazer então? Como alternativa, poderíamos fazer um refinanciamento do meu carro ou pegar um empréstimo.

Nem um, nem outro! A decisão foi vender o meu carro! Para quem conhece a cidade de São Paulo, sabe o quanto é sofrido depender do transporte público, mas tenho certeza que colherei os frutos do meu esforço. Tem uma expressão no inglês que cabe bem para a situação: “no pain, no gain”, algo como: “não há benefício sem sacrifício”.

Documentos necessários para a viagem

Como viajei de férias em 2009 para os Estados Unidos e Canadá, parte dos documentos estavam prontos, mas vou deixar algumas dicas:

Passaporte: minha viajem em cima da hora só foi possível devido ao fato de eu já ter minha documentação em dia. Eu recomendo que você tire o passaporte (que é válido por cinco anos) tendo em vista ou não alguma viagem, nunca se sabe quando a oportunidade vai aparecer. Esteja preparado! Para informações sobre requisição de Passaporte, acesse o link do Departamento da Polícia Federal.

Visto Canadense: para ir ao Canadá é necessário ter visto, se você procurar na internet, irá localizar muitas informações de como obter o visto canadense. É um pouco burocrático, mas rápido.

Seguem dois links do Consulado Canadense em São Paulo: o de documentos para o visto, e o de informações sobre visto e imigração.

Visto Americano: por que tirar o visto americano se estou indo para o Canadá? Justificativa: para comprar passagens aéreas com preços mais competitivos. Algumas companhias oferecem vôos com conexão nos Estados Unidos e para fazer conexão é necessário ter o visto daquele país.

Outra boa razão para ter os dois vistos é ter a opção de passear em Nova York, que fica a cerca de 10 horas de carro ou 1 hora de vôo de Toronto, em um fim de semana durante sua estadia por lá ou até mesmo se a opção for apenas pelo passeio para conhecer as Cataratas do Niágara (Niagara Falls). Se você tiver o visto americano, você poderá passear pelo lado americano e conhecer o belíssimo parque que abriga as cataratas. Estes passeios eu já fiz e se tiver oportunidade de ir com o grupo da Universidade de Toronto, irei novamente. É maravilhoso! Este é o link do Consulado Americano em São Paulo.

Seguro saúde/viagem obrigatório: é exigência do Canadá (assim como em outros países) ter um seguro saúde para os dias em que estiver naquele país. Contrate-o.

Normalmente o seguro é oferecido pelas companhias aéreas ou agência de turismo, mas você pode comprar direto com uma seguradora, se preferir.

Dica: Se possível, faça uma avaliação da sua saúde com o seu médico antes de viajar. Se você precisar tomar algum remédio durante a estadia em Toronto ou qualquer outro país, leve o remédio e a receita médica prescrita em inglês ou no idioma do país de destino.

Outros documentos

  • Verifique se todos os seus documentos estão de acordo com as exigências de cada país. No meu caso, tive que atualizar as carteiras de identidade e motorista com o meu nome de casada, que por pura preguiça ainda não o tinha feito.
  • Verifique se há necessidade de deixar uma procuração com alguém de confiança (documento oficial registrado em cartório, que autoriza uma pessoa específica a te representar legalmente), pois se algo (importante ou urgente) acontecer durante a sua ausência, esta pessoa poderá resolver pra você.
  • Vacinas – verifique se todas as suas vacinas estão em dia, principalmente as exigidas pelo país de destino. No site do Consulado Canadense não encontrei nenhuma informação sobre a obrigatoriedade de vacinas, mas por precaução tomei a vacina de febre amarela. Depois que você tomar as vacinas exigidas pelo país de destino, é necessário procurar um posto da ANVISA e apresentar o comprovante de vacinação. Com isso você receberá o Certificado Internacional de Vacinação. É uma carteirinha amarela. Não deixe de consultar o site dos consulados para saber sobre as vacinas exigidas e as recomendadas para cada país de destino, mas seguem três links de sites que informam sobre vacinação, o Casa de Vacinas, Aeroportos do Mundo e ANVISA.

Dicas gerais

  • Tirei cópia de todos os documentos que vou levar na viagem. Uma cópia ficará em casa no Brasil e a outra vou deixar dentro da minha mala durante a viagem enquanto os originais estarão comigo.
  • Não se esqueça de que os seus cartões de crédito internacionais são praticamente o seu segundo passaporte durante a viagem. Você precisará dele(s) para confirmar sua entrada em hotéis, liberar o uso de telefone e frigobar, alugar carros, etc.
  • Não deixe de consultar os sites dos órgãos oficiais (Polícia Federal, Consulados, etc.), pois isso lhe garante informações confiáveis.

Por: Monica Korosue

Monica Keiko Korosue é paranaense, mas vive em São Paulo desde 1993. É casada e tem um filho. Monica é geminiana e como tal é uma mulher dinâmica, comunicativa, positiva, que adora novidade, de bem com a vida, tem muitos amigos, e é uma pessoa muito intensa e emotiva. Ela é dona de um carisma e astral festivo e sua principal característica é a busca por resultados e realizações. Monica é formada em Processamento de Dados pela Universidade Cidade de São Paulo e é especialista em Governança de TI com certificações internacionais em ITIL-Foundation, ITIL-Practitioner IPAD e CobiT. Trabalha com Tecnologia da Informação desde 1996 e atualmente é funcionária de uma associação ligada ao mercado financeiro brasileiro, atuando nas áreas de Infraestrutura, Serviços e Operação de TI. [ email . website ]

  1. Marcelo Menezes disse:

    · Responder

    Qual foi o visto que você tirou para ir para os Estados Unidos? abraço

  2. Eliane disse:

    · Responder

    Monica,nossa que coragem colega!mas é isso ai sem sacrificio nada cai do céu,vc é uma mulher guerreira(já te disseram isso antes..)e vai superar qualquer coisa,vai com tudo ;estaremos torcendo por vc,

    • Oi Eliane! Obrigada pelas palavras de carinho e força. Eu aprendi de pequena que lutar é preciso e sempre será, então esta é só mais uma batalha e tenho certeza que dará tudo certo.

      Obrigada de coração!

  3. maria elizete disse:

    · Responder

    isso ai mò vai com fè,pois acredito em vocè bjim

    • Oi Bá! Você sabe que tem a missão de cuidar da casa e dos meus dois amores enquanto eu estiver fora. Conto com você e saiba que você tamém é parte desta aventura.
      Beijos

      Monica

  4. Ricardo Leite disse:

    · Responder

    Gostei muito das suas dicas, com certeza sao muito uteis, conheco muita gente que veio para Toronto sem o menor preparo incluindo pessoas de outros paises, na maioria dos casos eles voltaram.

    Quanto a saudades do Brasil, confesso que nao sou uma pessoa muito “familia” mas isso mudou desde que cheguei aqui. Ainda bem que a internet ajuda a superar um pouco a saudade!

    Boa sorte e bom curso!

    • Oi Ricardo!
      Procurei me cercar de todos os cuidados para evitar problemas durante a viagem, muitas pessoas estão contribuindo com dicas.

      Depoimentos como o seu me deixam mais tranquila e confiante, e acredite: eu realmente estou precisando disso!

      Obrigada por acompanhar os artigos e contribuir para esta aventura!

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.

Leia também

401 Richmond Building
Plano de celular sem contrato (também) pode virar dor de cabeça
Novo programa de troca de dados na fronteira Canadá-EUA levanta questões para os imigrantes canadens...